O cheiro de Deus – Roberto Drummond

07-09-2013

o cheiro de deus O cheiro de Deus   Roberto Drummond

Hoje me lembrei desse livro que li há muito tempo, de Roberto Drummond. Não sei porque às vezes me pego pensando em um determinado livro, e me dá uma vontade enorme de escrever sobre ele. O que é bom, pois assim posso diversificar ainda mais o conteúdo do blog.

Sempre associei Drummond à sua mais conhecida obra, “Hilda Furacão”. Então eu não tinha ideia de que ele teria uma história no estilo de “O cheiro de Deus” – e eu me apaixonei!

Esse livro me chamou a atenção em um sebo, muito mais pelo título curioso do que pela sinopse – afinal, Deus teria um cheiro? Do que realmente se trata essa expressão? Ele não é novo: foi escrito em 1998, mas é tão bom que preciso compartilhar, afinal, há tanta coisa interessante no mundo literário que não precisamos apenas conhecer lançamentos, certo? Acho muito importante essa mistura de estilos e épocas.

O Cheiro de Deus é a história de uma família (seria inspirada na família do autor, como ele mesmo sugere?) que vive suas épocas de ápice e decadência, como muitas que conhecemos. Mas posso dizer uma coisa: essa família não é NADA normal. Elementos como incesto e loucura são parte integrante da trama, como se fosse algo muito natural. Além disso, o livro traz um pouco de romance regional, bem característico, e um toque fantástico e sobrenatural.

E que há mais um detalhe intrigante: o livro é muito bem humorado!

As tiradas que o autor faz são um caso a parte. Todos os homens da família, para começar, tem nome de whisky (pois é, nunca mais olhei um whisky da mesma maneira), e a família tem como pilar uma brava e guerreira senhora, Inácia Micaela (não tentem reproduzir esse nome em casa!!).

Ela é uma personagem maravilhosa, que nos encanta justamente pela bravata e vontade de viver, mesmo com todas as adversidades. Desde pequena com espírito libertador, casa-se com seu tio, contrariando os bons costumes sociais da época.

E é essa personagem de pano de fundo que vai nos ajudar a conhecer melhor as desavenças e vitorias dessa família tão esquisita – mas afinal, quem é cem por cento normal?

Descobrir o cheiro de Deus se torna incessante para nossa guerreira: sua maior vitoria será descobrir esse cheiro, e ela teme morrer antes disso acontecer.

Mas tudo isso só acontece após muitos encontros e desencontros, e eu estaria sendo deselegante se falasse mais alguma coisa a respeito da história.

A leitura é deliciosa, e por ser um autor tão renomado no país, o livro não teve tanta visibilidade, embora, na época de seu lançamento, tenha sido disputado por algumas editoras. Eu o li em uma única viagem e, na minha opinião, ele é melhor que Hilda Furacão.

Mais uma leitura recomendada!

Você também vai gostar desses posts do Meu Meio Devaneio: